Sou uma pessoa criadora profissional. Preciso de evitar ler ou reconhecer obras de fãs baseadas nas minhas próprias obras?

Isso trata-se essencialmente de uma decisão pessoal. Se te chatear ler ou ver obras de fãs baseadas nas tuas obras, então não o faças.

Há quem, por vezes, aconselhe pessoas autoras a evitar ler ou reconhecer obras de fãs que transformem a sua própria obra, uma vez que em teoria é possível que uma pessoa autora lesse uma história, em seguida escrevesse algo semelhante e se visse perante uma acusação de ter copiado a obra de fã. Há várias razões pelas quais este risco pode ser desvalorizado, a mais simples sendo o facto de a jurisprudência dos EUA ser toda em favor da primeira pessoa autora: nenhum tribunal estará recetivo a uma acusação de que uma obra posterior da pessoa autora original no mesmo universo ficcional infringe a obra de fãs. Entre outras coisas, quando se parte de premissas similares à raiz, não é de todo surpreendente que se chegue a ideias parecidas – mas a lei de direitos de autor dos EUA protege a expressão específica de uma ideia e não as ideias em si. Mesmo que uma obra de fãs seja similar a uma obra posterior no mesmo universo, a semelhança de ideias (por exemplo, como a magia com varinhas funciona em Harry Potter) não é suficiente para uma acusação de violação de direitos de autor.

No entanto, não ser capaz de uma vitória não elimina a possibilidade de alguém ameaçar processar. A verdadeira questão é que não é preciso uma obra de fã para haver uma ameaça! Se uma pessoa autora ler correio de fãs ou críticas online, pode encontrar ideias de fãs sobre o que deveria acontecer às personagens; se ler outros livros, pode encontrar um enredo ou personagem semelhante a um enredo ou personagem que podem usar mais tarde. De facto, o típico caso de violação de direitos de autor envolve acusações de que uma obra copiou outra obra, aparentemente não relacionada.

A missão da OTW (Organização para Obras Transformativas) inclui explicar a diferença entre ideias e expressão. Muitas pessoas podem ter a mesma ideia sobre o que deveria acontecer na próxima temporada de House, mas se cada uma escrever histórias diferentes que expressam a ideia de forma diferente, então essas histórias não se infringem entre si.