Post criado por convidadx da OTW: Henry Jenkins

De tempo em tempos a OTW (Organização para Obras Transformativas) trará posts escritos por convidadxs nas nossas contas de Notícias da OTW. Estes posts pretendem das espaço para uma perspectiva externa a respeito da OTW ou de aspectos do fandom onde nossos projetos podem estar presentes. Estas postagens expressam as opiniões pessoais dxs autorxs e não necessariamente refletem as visões da OTW ou constituem a política da OTW. Nós adoraríamos receber sugestões de fãs para posts no futuro, elas podem ser deixadas nos comentários desta publicação ou entrando em contato direto conosco.

Henry Jenkins é um dos pesquisadores mais conhecidos na área de estudos de mídia dedicado a pesquisas relacionadas ao fandom. Seu livro de 1992 Textual Poachers: Television Fans and Participatory Culture foi lido em todo o mundo e é visto como um dos textos essenciais da área de estudos de fãs. Quando pedimos que escrevesse este post para o nosso aniversário de dez anos, ele respondeu: “é uma honra ser convidado para desempenhar esse papel”. Henry fala conosco a respeito de fãs, estudantes e fandom.

Textual Poachers continua sendo lido por estudantes e pessoas curiosas a respeito de fãs e fandoms, mas você também já escreveu vários outros livros e artigos desde então. Na sua opinião, quais foram as maiores mudanças no fandom desde que você começou tanto como pesquisador quanto como participante?

Com relação ao fandom, o impacto das mídias digitais foi decisivo: expandindo o alcance do fandom, criando conexões mais profundas entre fãs ao redor do mundo; aumentando o velocidade de resposta dos fãs, que podem reagir em tempo real aos seus programas preferidos; criando um espaço onde obras de fãs são muito mais visíveis para a cultura como um todo (o que tem aspectos bons e ruins); permitindo que pessoas encontrem o caminho para o fandom cada vez mais jovens; e ampliando o impacto das ações de fãs ativistas para que suas vozes sejam ouvidas no que diz respeito ao cancelamento de programas. (Não é preciso ir além da recente e dramática mudança na sorte de Timeless).

Com relação ao estudo acadêmico do fandom, nós vimos o surgimento de um subcampo de pesquisa, com suas próprias conferências e organizações profissionais, suas próprias publicações (inclusive a Transformative Works and Cultures — TWC (Culturas e Obras Transformativas)), suas próprias linhas de editoriais, seus próprios cursos, e assim por diante. No próximo ano, ao menos quatro antologias acadêmicas serão publicadas dedicadas ao mapeamento do campo de estudos de fandom, refletindo o surgimento de uma nova geração de pesquisadores e representando inovações em diversas áreas, mas principalmente no que diz respeito a finalmente confrontar a questão racial.

(mais…)

Post da Convidada Versaphile

De tempos em tempo, a OTW (Organização Para Obras Transformativas) irá publicar posts de convidadxs nas contas da OTW News. Estxs convidadxs oferecerão uma perspectiva externa a respeito da OTW ou aspectos de fandom onde nossos projetos podem estar presentes. Os posts expressam a visão pessoal de cada autorx e não refletem necessariamente a visão ou constituem a política da OTW. Nós aceitamos sugestões de fãs para futuros posts de convidadxs, elas podem ser deixadas nos comentários ou entrando em contato conosco diretamente.

Versaphile é “oficialmente das antigas, estando envolvida com fandoms online desde 1995: ao longo dos anos eu participei dos fandoms de Arquivo X, Due South, Stargate SG-1, Senhor dos Anéis, Buffy a Caça Vampiros/Angel, Hornblower, Life on Mars, Doctor Who, e Merlin da BBC. Eu costumava fazer diversos projetos de fã ligados a infraestrutura, como recomendações e arquivos, além de vídeos e montagens, mas hoje sou feliz escrevendo épicos de Merlin ridiculamente longos e cheios de angústia.” Hoje, Versaphile vai falar sobre sua experiência trabalhando com o projeto Open Doors (Portas Abertas) da OTW como proprietária de arquivos que estão sendo importados para o Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo).

Como você se envolveu com fandoms e obras de fãs pela primeira vez?

Eu herdei o vício em Star Trek dos meus pais, mas o primeiro fandom em que me envolvi por conta própria foi de Arquivo X. Eu entrei na internet em 1994/1995 e descobri Usenet e alt.tv.x-files e, mais importante, a.t.x.creative. Me envolvi com fanfic e nunca me arrependi. (mais…)